Ecce Homo – Ragusa

pe. giovanni, fidei donum

ESCUTAR JESUS

images (2)

Pe. José Antonio Pagola.            Tradução: Antonio Manuel Álvarez Pérez

Os cristãos de todos os tempos sentiram-se atraídos pelo episódio chamado tradicionalmente “A transfiguração do Senhor”. No entanto, os que pertencemos à cultura moderna não se torna fácil penetrar no significado de um relato com imagens e recursos literários, próprios de uma “teofania” ou revelação de Deus.

No entanto, o evangelista Lucas introduziu detalhes que nos permitem descobrir com mais realismo a mensagem de um episódio que a muitos lhes resulta hoje estranho e inverosímil. Desde o começo nos indica que Jesus sobe com os Seus discípulos mais próximos ao alto de uma montanha simplesmente “para orar”, não para contemplar uma transfiguração.

Tudo sucede durante a oração de Jesus: “enquanto orava, o aspeto do Seu rosto mudou”. Jesus, recolhido profundamente, acolhe a presença do Seu Pai, e o Seu rosto muda. Os discípulos percebem algo da Sua identidade mais profunda e escondida. Algo que não podem captar na vida ordinária de cada dia.

Na vida dos seguidores de Jesus não faltam momentos de claridade e certeza, de alegria e de luz. Ignoramos o que sucedeu no alto daquela montanha, mas sabemos que na oração e no silêncio é possível vislumbrar, a partir da fé, algo da identidade oculta de Jesus. Esta oração é fonte de um conhecimento que não é possível obter nos livros.

Lucas diz que os discípulos pouco se inteiram do que se passa, pois “se caiam de sono” e só “ao acordarem”, captaram algo. Pedro só sabe que ali se está muito bem e que essa experiência não deveria terminar nunca. Lucas diz que “não sabia o que dizia”.

Por isso, a cena culmina com uma voz e um mandato solene. Os discípulos vêem-se envoltos numa nuvem. Assustam-se pois tudo aquilo os ultrapassa. No entanto, daquela nuvem sai uma voz: “Este é o Meu Filho, o escolhido. Escutai-o”. O escutar há-de ser a primeira atitude dos discípulos.

Os cristãos de hoje, necessitamos urgentemente de “interiorizar” a nossa religião se queremos reavivar a nossa fé. Não basta ouvir o Evangelho de forma distraída, rotineira e gasta, sem desejo algum de escutar. Não basta tampouco uma escuta inteligente preocupada só em entender.

Necessitamos escutar Jesus vivo no mais íntimo do nosso ser. Todos, predicadores e povo fiel, teólogos e leitores, necessitamos escutar a Sua Boa Nova de Deus, não desde fora mas desde dentro. Deixar que as Suas palavras descendam das nossas cabeças até ao coração. A nossa fé seria mais forte, mais satisfatória, mais contagiosa.

 

Annunci

I commenti sono chiusi.