Ecce Homo – Ragusa

pe. giovanni, fidei donum

Avental e estola

Lascia un commento

 
Dizia Dom Tonino: “Nós sacerdotes, não somos somente os portadores do sofrimento do mundo, não somos somente Cirineus da cruz, mas somos os cirineus que ajudam o mundo a levar a sua Cruz com alegria e esperança, como também somos portadores da alegria, chamados a infundi-la no mundo”.
Deste modo o sacerdote (homem da esperança) é o homem também para o mundo, sem ser do mundo, mas o homem chamado por Deus a entrar no mundo da violência, das drogas, das periferias, da prostituição, mundo este que se faz presente em tantos corações longes de Deus. Este é o mundo, como vemos ao nosso redor, o mundo que se transforma, e que muitas vezes não entendemos, por falar uma linguagem diferente da nossa. Por este mundo o eterno sacerdote deu a sua vida, e não fechou os seus olhos.

O Sacerdote é Sacerdote para a Igreja, e para o mundo, aberto as realidades de uma Igreja que caminha no mundo, e não fechada em si mesma, mas é sacerdote também para uma Igreja que supera as suas barreiras, que caminha à frente, que não fecha os olhos a escuridão do mundo, mas que mostra a sua força libertadora, dizendo aos que estão nas trevas “Vinde a Luz”. Assim o sacerdote é um homem separado por Deus, mas que ao mesmo tempo é totalmente imerso na realidade do mundo.
Para nós sacerdotes, homens da Igreja, o mundo não é o resto dos rejeitados pela Igreja, dos excluídos, dos que estão no inferno, dos amaldiçoados, como também não é aquele que tira o braço de ferro com a Igreja, rival da mesma, mas é o final, a meta da Paixão de Cristo, que amou tanto o mundo, a ponto de dar a sua vida por ele, e por isso é também a meta final da paixão que existe em um coração sacerdotal, em busca do projeto de salvação e libertação do homem, pois o sacerdote como diz alguns escritos antigos, é o homem de Deus, como também, o Homem-Deus, configurado a Cristo, que possui em seu coração todo o desejo e o ardor da salvação das almas, e que ama de modo particular aquelas que estão mais distantes do coração do Pai, deste modo o sacerdócio que ministramos, não nos pertence, mas vos pertence, somos padres para a vossa santificação, para o serviço, e juntamente convosco somos fiéis.

Nós padres, somos chamados não somente a consagrar a eucaristia, através da imposição de nossas mãos ungidas e consagradas, mas também a tocar este mundo com as nossas mãos, para transforma-lo, para consagra-lo e oferece-lo ao Pai, para que ele também se torne ação de graças.

Annunci

Effettua il login con uno di questi metodi per inviare il tuo commento:

Logo WordPress.com

Stai commentando usando il tuo account WordPress.com. Chiudi sessione / Modifica )

Foto Twitter

Stai commentando usando il tuo account Twitter. Chiudi sessione / Modifica )

Foto di Facebook

Stai commentando usando il tuo account Facebook. Chiudi sessione / Modifica )

Google+ photo

Stai commentando usando il tuo account Google+. Chiudi sessione / Modifica )

Connessione a %s...